Arquivo

opinião

Miguel Dores: A noite de Portugal no Dia de Portugal

Este texto foi lançado, em primeira mão, na nossa newsletter semanal. Se quiseres receber estas crónicas, recomendações de reportagens, podcasts e filmes no teu email, subscreve aqui. Na viragem para 2019 procurava o meu tema de tese em Antropologia. Tema, tema, até tinha, mas era ingénuo e academicista. O início do ano fora marcado pelo grande destaque […]

opinião

O remédio de Frantz Fanon contra o racismo

Frantz Fanon, psiquiatra e revolucionário anticolonialista, faria 96 anos a 20 de julho de 2021. Para relembrar o seu legado convidámos Mamadou Ba para refletir sobre o papel de Frantz Fanon na luta contra o colonialismo e racismo.

opinião

O meu privilégio criou a Cova da Moura

“Não foram os “negros perigosos não-civilizados” que criaram a Cova da Moura. Fomos nós. Os privilegiados.” Artigo de opinião de Ricardo Esteves Ribeiro sobre a desigualdade e a violência policial da Cova da Moura.

opinião

Ainda vivo às custas dos escravizados pela minha família

Dizer que Portugal não é racista não é uma opinião, é um exercício de negacionismo histórico racionalmente indefensável.

especial

Análise: “André Ventura é fascista”, Inocência Mata

As eleições legislativas do passado domingo trouxeram resultados históricos: este será o Parlamento com mais mulheres, com mais partidos e o primeiro com três mulheres negras – Joacine Katar Moreira, Romualda Fernandes e Beatriz Gomes Dias. Ao mesmo tempo, foi eleito um deputado da extrema-direita racista e xenófoba.

Inocência Mata, professora na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e Susana Peralta, professora de Economia na Universidade Nova SBE, falam sobre os resultados eleitorais, a formação de governo e a diversidade do novo Parlamento.

editorial

Direção Nacional da PSP censura entrevista de Manuel Morais ao Fumaça

A Direção Nacional da PSP diz que o racismo na instituição é um assunto “devidamente escrutinado” e impediu o ex-sindicalista Manuel Morais de falar ao Fumaça que democracia é esta onde quem tem o direito legal de usar a violência sobre as pessoas se recusa a ser escrutinado por órgãos de comunicação social? Editorial escrito por Ricardo Esteves Ribeiro.

dois pontos

James Baldwin. Ninguém sabe o meu nome.

James Baldwin, escritor norte-americano, ativista anti-racista, anti-colonialista e anti-imperialista, morreu a 1 de dezembro de 1987. Baldwin foi um dos mais influentes artistas da sua geração e uma das personalidades mais relevantes do movimento pela igualdade dos direitos civis nos Estados Unidos da América, nas décadas de 50 e 60. Passados 31 anos da sua morte, relembramos a sua vida e obra.

extras

Flávio Almada (LBC): “A sociedade racista sugere às populações negras colocar a máscara branca para serem aceites”

Esta entrevista foi realizada para a preparação da segunda edição do Dois Pontos: a atualidade explicada, dedicada a James Baldwin, onde podem ouvir-se excertos da conversa. Acima, têm o bruto da entrevista, na sua totalidade, sem edição. Flávio Almada, também conhecido por LBC, é rapper, membro da Plataforma Gueto, uma plataforma anti-racista, e da Associação Cultural Moinho da Juventude, um projeto comunitário sediado na Cova da Moura, na Amadora.

extras

Beatriz Gomes Dias: “Não consigo defender que essa ideia de desumanização do negro tenha desaparecido”

Esta entrevista foi realizada para a preparação da segunda edição do Dois Pontos: a atualidade explicada, dedicada a James Baldwin, onde podem ouvir-se excertos da conversa. Acima, têm o bruto da entrevista, na sua totalidade, sem edição. Beatriz Gomes Dias é professora de Biologia numa escola do ensino secundário, em Lisboa, e uma das fundadoras da DJASS – Associação de Afrodescendentes.

extras

Miguel Vale de Almeida: “A história da ciência está cheia de ocultações de contribuições negras”

Esta entrevista foi realizada para a preparação da segunda edição do Dois Pontos: a atualidade explicada, dedicada a James Baldwin, onde podem ouvir-se excertos da conversa. Acima, têm o bruto da entrevista, na sua totalidade, sem edição. Miguel Vale de Almeida é antropólogo, professor e investigador no ISCTE.

extras

Mamadou Ba: “James Baldwin costumava dizer que quem tem de se curar do racismo são os brancos”

 Esta entrevista foi realizada para a preparação da segunda edição do Dois Pontos: a atualidade explicada, dedicada a James Baldwin, onde podem ouvir-se excertos da conversa. Acima, têm o bruto da entrevista, na sua totalidade, sem edição. Mamadou Ba é dirigente da associação SOS Racismo, uma organização anti-racista em Portugal.

  1. 1
  2. 2
  3. 3