Cova da Moura

Vítor Sanches: “Acredito num mundo sem polícia”

Vítor Sanches cresceu na Cova da Moura e desde sempre aprendeu que o seu bairro era “um lugar de exceção para a polícia”. As rusgas e a violência desproporcional eram normais. Por isso, não o surpreendeu quando, em 2015, seis residentes da Cova da Moura foram sequestrados e espancados na esquadra de Alfragide. 

No dia em que se assinalam dois anos desde que oito agentes dessa esquadra foram condenados nesse caso (um deles com pena de prisão efetiva), numa sentença histórica, conversamos com o ativista anti-racista e fundador da Bazofo, uma livraria, loja de roupa ética e sustentável e espaço de resistência cultural na Cova da Moura.

Fotografia: Anna Pöysä

Esta conversa faz parte de uma investigação que o Fumaça está a fazer, em parceria com a revista digital de jornalismo narrativo Divergente, sobre violência policial, racismo judicial e também o que significa ser polícia em Portugal. Teremos mais novidades em breve.

Subscreve a newsletter

Lê textos exclusivos escritos por nós ou pessoas convidadas. Guarda as nossas recomendações de reportagens, podcasts, filmes e documentários.

Subscreve e recebe a nossa newsletter.

Ver exemplos