Fala connosco — [email protected]
Calçada do Tijolo 23, 1200-464 Lisboa

Jornalismo independente, progressista e dissidente

25 de Abril de 1974

Maria Paula Meneses: “Portugal não fez descolonização”

22 Abril 2021
06:29

E se a história da Revolução dos Cravos for mentira? Do “dia inicial inteiro e limpo”, que escreveu Sophia de Mello Breyner Andresen;, da festa “bonita, pá”, que canta Chico Buarque; do golpe sem sangue que contam os livros de história. E se tudo isso for mentira? Uma alucinação coletiva, uma ficção contada tantas vezes e de tantas formas que engoliu outras verdades.

Em 1971, Amílcar Cabral, fundador do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) e um dos principais líderes independentistas africanos, dizia, em entrevista às revistas Anticolonialismo e Polémica: “Estamos absolutamente convencidos de que, na medida em que os povos das colónias portuguesas avancem com a sua luta e se libertem totalmente de dominação colonial portuguesa, estarão contribuindo de uma maneira muito eficaz para a liquidação do regime fascista em Portugal”. 

Cabral não ficou para ver o culminar da sua luta – foi assassinado em janeiro de 1973 –, mas há quem, há décadas, defenda que foi nas ex-colónias que se fez o 25 de Abril; que foi na derrota portuguesa nas guerras de libertação nacional que nasceu a Revolução; que foi das dezenas de milhares de mortes da Guerra que se derrubou o regime; que Portugal não descolonizou mas foi, sim, obrigado a abandonar o Império.

Hoje, publicamos uma entrevista especial sobre o 25 de Abril, com a investigadora e historiadora moçambicana Maria Paula Meneses, coordenadora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, onde é também vice-presidente do Conselho Científico. Falámos sobre o papel dos movimentos africanos de libertação na Revolução Portuguesa, a ligação entre elas, a Guerra Fria e a Revolução Cubana e a descolonização que, acredita, está por cumprir.

Nota: Agradecemos à Rádio Universidade de Coimbra ter-nos cedido o estúdio para a gravação desta entrevista.

Edição
  1. Pedro Miguel Santos
  2. Margarida David Cardoso
Entrevista
  1. Ricardo Esteves Ribeiro
Fotografia e vídeo
  1. Joana Batista
Preparação
  1. Ricardo Esteves Ribeiro
Som
  1. Bernardo Afonso
Texto
  1. Ricardo Esteves Ribeiro
/

pergunta, sugere, denuncia, contribui

Jornalismo com tempo e profundidade faz-se com a tua participação e apoio.

Contribuir

subscreve a nossa newsletter

para poderes votar nos tópicos que vamos investigar, workshops que queremos fazer e teres uma voz activa.

O nosso jornalismo é aberto a toda a gente, mas custa dinheiro. Ajuda-nos a continuar.