Mascote da série, personagem desenhado a traços longos, aparece à altura da página

Desassossego – Saúde e doença mental

Durante anos, um plano para revolucionar o acesso aos cuidados de saúde mental em Portugal espreitou desde a gaveta de vários governos. O seu atraso afeta doentes, famílias e profissionais. Nesta série de 13 episódios sobre saúde e doença mental, vamos das experiências pessoais à política, das promessas à prática.

Trailer
00:00

Recebe já todos os episódios da série

Faz uma contribuição mensal e recebe a série completa.

Contribuir

Episódios:

Subscreve o Fumaça na tua app de podcasts favorita.

01.

Eu já não quero amanhã

Joana Lima compara a depressão a um animal ferido, em carne viva. Os lugares confortáveis desaparecem e tudo dói. Mas, antes do fim da linha, há ajuda.

02.

Não, não, não, não vou conseguir

Pedro Coquenão não podia fingir que nada tinha acontecido. Por isso, colocou sobre a testa engessada um sinal onde se lia “Frágil”, como quem diz: “Esta pessoa está frágil da cabeça.”

03.

Há sempre barulho

Nico tinha um barulho dentro da cabeça, que só crescia à medida que ficava sozinho consigo mesmo.

04.

Aproxima-se a lua cheia

Gonçalo Pereira perguntava como podia ter leitura de que algo não está bem quando não conhecia um sentimento diferente.

05.

Dentro dos meus sapatos

Cláudia R. Sampaio escreveu e pintou para se salvar. O desespero, que se repetia, deixou de ser um lugar tão visitado.

A Comunidade Fumaça já tem acesso a todos os episódios

Faz uma contribuição mensal e ouve a série completa.

Contribuir

06.

A fila do pão

Mesmo afetando milhões de pessoas, a doença mental pode parece profundamente isoladora. Os estigmas da psiquiatria ajudam a explicar porquê.

07.

Encolhidos para dentro

A frase "Não enlouquece quem quer" transformou a forma como João Madeira olhava para o poder que tinha sobre os seus pensamentos. A doença mental não tem sentenças determinísticas, mas fatores e momentos de risco.

08.

Serviços mínimos

Um tratamento disponível à porta de casa para algumas pessoas pode não existir no raio de centenas de quilómetros para outras.

09.

Uma pessoa que se vai perder

O direito à reabilitação psicossocial tem-se democratizado a passos lentos. A rede pública para a generalizar está longe das metas a que foi proposta.

10.

Pregos e martelos

O internamento é a face mais visível, embora a mais pequena, dos cuidados de saúde mental. Tentamos entender como as condições de trabalho o influenciam por dentro.

11.

Uma estrelinha

Os atrasos na implementação do Plano Nacional de Saúde Mental significaram o crescimento de um hospital psiquiátrico e a consolidação da sua dependência durante mais de uma década. Com períodos de sobrelotação pelo meio.

12.

O plano

O Plano Nacional de Saúde Mental propôs-se a reformar os cuidados com uma meta ambiciosa. Mas muitas das suas propostas demoraram a ser desengavetadas. Tentamos traçar-lhe o percurso político.

13.

Ainda há bocado éramos felizes

Cada suicídio pode deixar dezenas de sobreviventes. As suas narrativas ajudam a entender o que podia ter sido diferente e como se vive o luto.

LINHAS DE APOIO E DE PREVENÇÃO DO SUICÍDIO EM PORTUGAL

 

Se alguém está em perigo de vida, liga para o 112.
Se tens sintomas de depressão ou pensamentos suicidas, há uma linha gratuita de aconselhamento psicológico no SNS 24. Liga 808 24 24 24, escolhe a opção 4. A chamada não é gravada.

 

Podes ainda recorrer a estas ajudas:

SOS Voz Amiga

Todos os dias. 15h30-00h30

213 544 545 | 912 802 669 | 963 524 660

www.sosvozamiga.org

Telefone da Amizade

Todos os dias. 16h-23h

www.telefone-amizade.pt

Voz de apoio

Todos os dias. 21h-00h; 20h-23h (Açores)

225 50 60 70

www.vozdeapoio.pt

Vozes Amigas de Esperança

Todos os dias. 16h-22h

222 030 707 | 960 460 446 (WhatsApp)

www.voades.pt

SOS Estudante

Todos os dias. 22h-01h (suspensa durante as férias escolares)

915 246 060 | 969 554 545 | 239 484 020

www.sosestudante.pt

 

Alterações aos números, horários ou atendimento são responsabilidade de cada uma das linhas.