Fala connosco — [email protected]
Calçada do Tijolo 23, 1200-464 Lisboa

Jornalismo independente, progressista e dissidente

jornalismo

opinião > editorial

Jornalismo

“O pão nosso de cada dia nos dai hoje”

Opinião de Pedro Miguel Santos. Sobre a arte de fazer pão, que é como quem diz jornalismo, a propósito do World News Day, celebrado a 28 de setembro.

1 Outubro 2020

comunicados

Fumaça consegue maior crowdfunding português de jornalismo de investigação

Esta segunda-feira, o meio de comunicação social de jornalismo independente Fumaça encerra com sucesso a maior campanha de crowdfunding alguma vez lançada em Portugal para investigação jornalística. A campanha de financiamento coletivo encerrada a 10 de agosto recebeu 21 768 euros para apoiar a realização de três documentários áudio. Pela primeira vez, um órgão de comunicação […]

10 Agosto 2020

comunicados

Crowdfunding

Ajuda-nos a investigar

Hoje relançamos a nossa campanha de crowdfunding para três investigações que consideramos fundamentais: “Mulheres Esquecidas. Um ar que se lhes deu.”, “Presos e Prisões. Com que Direito?” e “Bairros PERdidos”. Apoia-nos.

9 Julho 2020

opinião > editorial

Propostas Fumaça–Divergente

Futuro do Jornalismo? Parar de financiar os negócios do costume

Propostas do Fumaça e Divergente que devem nortear as políticas públicas de financiamento do Jornalismo por parte do Estado.

4 Junho 2020

opinião > editorial

Financiamento do jornalismo

Salvar os média não partirá de quem tem poder

Intervenção de Ricardo Esteves Ribeiro durante a conferência “Financiamento dos Média”, organizada pelo Sindicato dos Jornalistas, realizada na Cidadela de Cascais, nos dias 2 e 3 de dezembro de 2019.

5 Dezembro 2019

opinião > editorial

Jornalismo

Discurso Fumaça nos Prémios Gazeta 2018

Discurso de Ricardo Esteves Ribeiro durante a cerimónia de entrega de Prémios Gazeta 2018. O Fumaça venceu o Prémio Gazeta Revelação com a série “Palestina, histórias de um país ocupado”.

27 Novembro 2019

entrevista > é apenas fumaça

Brasil

Glenn Greenwald: “Sergio Moro lutou contra a corrupção, mas também foi corrupto”

Glenn Greenwald é o jornalista que deu a conhecer Edward Snowden, responsável por revelar o escândalo de vigilância global ilegal dos serviços secretos norte-americanos. Por causa desse trabalho, ele e a equipa do The Guardian USA venceram um Prémio Pulitzer. Co-fundador do The Intercept, foi um dos responsáveis pela série de reportagens que passariam a ser conhecidas como “Vaza Jato”, em referência à mega-operação Lava Jato, que investigou e prendeu dezenas de políticos e empresários poderosos. Na investigação, feita a partir de transcrições de conversas entre Sergio Moro, juiz responsável por várias condenações na Lava Jato (incluindo a de Lula da Silva), e vários membros do Ministério Público Federal (MPF) brasileiro, entre eles Deltan Dallagnol, que comanda a investigação em Curitiba, revela-se que Moro e o MPF trabalhavam juntos, delineando estratégias para condenação dos seus “alvos”. A partir desse momento, Glenn tem sido atacado e ameaçado recorrentemente, até pelo presidente Jair Bolsonaro, que sugeriu que ele pudesse ser preso. Nesta entrevista, fala sobre a Vaza Jato, jornalismo independente e o papel de whistleblowers na sociedade.

14 Novembro 2019

entrevista > é apenas fumaça

Wikileaks

Juan Branco: “O jornalismo de Julian Assange é muito mais radical do que o de qualquer jornalista”

Sete anos depois de Julian Assange ter entrado na embaixada do Equador, em Londres, como exilado político, o jornalista e co-fundador da Wikileaks foi removido à força e detido por autoridades britânicas, com a conivência do governo equatoriano. Pouco mais de um mês depois, as autoridades judiciais norte-americanas apresentaram 17 novas acusações contra ele, incluindo a de crime de espionagem, por a Wikileaks ter revelado centenas de milhares de documentos confidenciais sobre os abusos militares cometidos pelos Estados Unidos. Se for condenado por tudo o que é acusado, Assange arrisca uma pena de 175 anos de prisão. Será que vai ser extraditado? Para Juan Branco, um dos seus advogados, “a extradição de Julian Assange é um problema político, antes de ser um problema jurídico”. Vê aqui a entrevista.

18 Julho 2019

entrevista > é apenas fumaça

Precariedade no jornalismo

João Torgal: “Ao longo do processo de regularização de precários, a RTP continuou a contratar ‘recibos verdes'”

João Torgal foi jornalista precário durante mais de quatro anos. Trabalhou como falso recibo verde na Antena 1, uma emissora de rádio pertencente ao grupo RTP, desempenhando exatamente as mesmas funções que vários camaradas com contratos de trabalho desempenhavam, enquanto a precariedade lhe sugava direitos laborais. Mas não foi o único. Como ele, centenas de outros trabalhadores se sujeitaram ao mesmo – dezenas são jornalistas. Neste mês de janeiro, espera a conclusão de um processo que se arrasta faz tempo, e ser, finalmente, integrado nos quadros da empresa. Ainda assim, muitos profissionais não podem dizer o mesmo. Nesta entrevista, falamos sobre o passado, o presente e o futuro do jornalismo.

24 Janeiro 2019

opinião > editorial

A imprensa precisa de mais tempo para ser mais livre

Texto de opinião de Ricardo Esteves Ribeiro.

3 Maio 2018

entrevista > é apenas fumaça

Imprensa Regional

Imprensa regional: “Há muito consumidor que continua dependente da necrologia.”

Nos últimos 20 anos Portugal perdeu perto de quatro centenas de jornais, revistas e rádios locais. Que importância têm os média locais? Terão futuro? João Carlos Correia, professor na Universidade da Beira Interior, na Covilhã, ensaia algumas respostas.

3 Maio 2018

opinião > editorial

Palestina

Netanyahu: “PRESS” não significa alvo

A opinião de Ricardo Esteves Ribeiro, sobre o assassinato de Yasser Murtaja, jornalista palestiniano, morto por um sniper do exército israelita.

12 Abril 2018

entrevista > é apenas fumaça

Angola

Domingos da Cruz: “Em Angola o que tem acontecido não são eleições. São simulacros eleitorais”

Entrevistámos o ativista, jornalista e investigador Domingos da Cruz sobre as eleições em Angola, o autoritarismo do regime e a censura da imprensa. E ainda sobre as consequências das revoluções na Líbia e na Síria e a influência do capital angolano na comunicação social portuguesa.

4 Novembro 2016

entrevista > é apenas fumaça

Comunicação Social

Daniel Oliveira: “Não é natural um jornalista publicar uma coisa errada para ser o primeiro a publicar”

Conversámos com Daniel Oliveira, jornalista e colunista, sobre o papel da Comunicação Social e a sua pluralidade, sobre o estado do jornalismo e a seriedade dos jornalistas, sobre o futuro dos media como negócio e a consequência desse futuro para a sociedade.

29 Junho 2016
Este é o único anúncio que vais ver neste website. Apoia o jornalismo independente.