Desassossego, nova série Fumaça. Sabe mais aqui.

Arquivo

Desassossego: Série Sobre Saúde e Doença Mental

Aproxima-se a lua cheia

Gonçalo Pereira perguntava como podia ter leitura de que algo não está bem quando não conhecia um sentimento diferente.

Desassossego: Série Sobre Saúde e Doença Mental

Há sempre barulho

Nico tinha um barulho dentro da cabeça, que só crescia à medida que ficava sozinho consigo mesmo.

Desassossego: Série Sobre Saúde e Doença Mental

Não, não, não, não vou conseguir

Pedro Coquenão não podia fingir que nada tinha acontecido. Por isso, colocou sobre a testa engessada um sinal onde se lia “Frágil”, como quem diz: “Esta pessoa está frágil da cabeça.”

extras

Glossário

Palavras que podem suscitar dúvidas e que aparecem ao longo dos 13 episódios da série Desassossego, sobre saúde e doença mental.

opinião

“O rapaz da rua da Fábrica”, por Margarida Tengarrinha

Margarida Tengarrinha, militante antifascista que viveu cerca de 20 anos na clandestinidade durante a ditadura, escreve “O rapaz da rua da Fábrica”, uma história até hoje nunca contada sobre a vida do seu companheiro Carlos Costa, histórico militante do PCP, que morreu a 6 de setembro de 2021.

opinião

“Nada é oferecido, tudo é conquistado”, por Inês Henrique

O caminho de um atleta até ao alto rendimento pode ser muito solitário. Esta é a história de Inês Henriques, Campeã do Mundo em 50 km marcha em 2017.

opinião

“Preciso que te importes”, por Guadalupe Amaro

Guadalupe Amaro reflete sobre os direitos das pessoas trans, o cumprimento da Constituição e o acesso a cuidados de saúde no SNS.

opinião

“A coisa mais vergonhosa que já fiz”, por Pedro Miguel Santos

No mês em que celebramos as pessoas LGBTQIA+, o nosso Pedro reflete sobre o seu passado.

opinião

“Bichas e Golias”, por Fado Bicha

Este texto foi lançado, em primeira mão, na nossa newsletter semanal. Se quiseres receber estas crónicas, textos exclusivos e recomendações de reportagens, podcasts e filmes no teu email, subscreve aqui. Lisboa, cheia de corTerra de tremor, a cada junhoCascatas de purpurinasPerucas são crinasE, ao alto, o punho Começamos assim, com a primeira estrofe da nossa canção Marcha […]

extras

Rui Tomé: “Os trabalhadores não têm legitimidade para convocar uma manifestação”

Entrevista a Rui Tomé, vice-coordenador nacional do Sindicato dos Trabalhadores de Serviços de Portaria, Vigilância, Limpeza, Domésticas e Actividades Diversas (STAD).
Realizada a propósito da série “Exército de Precários”, uma investigação de dois anos sobre o mundo da segurança privada, em Portugal.

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. 7