Segurança Privada: Exército de Precários (Extra)

Rui Pereira: “A segurança passou a ser uma responsabilidade partilhada, não uma missão exclusiva do Estado”

Esta entrevista foi disponibilizada à Comunidade Fumaça em conjunto com o terceiro episódio de “Exército de Precários”, um audiodocumentário, em oito partes, sobre a segurança privada em Portugal.

Desde o virar do século que Rui Pereira influencia a política penal, policial e securitária portuguesa. Foi diretor-geral do Serviço de Informações de Segurança, membro do Conselho Superior do Ministério Público, fundador do Observatório da Segurança, da Criminalidade Organizada e do Terrorismo e ministro da Administração Interna, nos dois governos de José Sócrates.

Durante o seu primeiro mandato, a regulação da segurança privada passou da Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna para a Polícia de Segurança Pública, com a criação do Departamento de Segurança Privada para o efeito. Hoje, Rui Pereira é professor no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa e colunista e comentador no Correio da Manhã/CMTV.

Na curta entrevista que concedeu ao Fumaça, à distância, em maio de 2020, aceitou analisar a crescente importância da segurança privada, como académico. Resistiu, no entanto, a assumir quaisquer responsabilidade política, acabando por abandonar a entrevista.

Com o apoio:

A série “Exército de Precários” foi realizada com o apoio de bolsas de investigação jornalística atribuídas pela Fundação Calouste Gulbenkian (2018) e Fundação Rosa Luxemburgo (2020). Os contratos podem ser consultados em www.fumaca.pt/sobre.

Subscreve a newsletter

Lê textos exclusivos escritos por nós ou pessoas convidadas. Guarda as nossas recomendações de reportagens, podcasts, filmes e documentários.

Subscreve e recebe a nossa newsletter.

Ver exemplos