Fala connosco — [email protected]
Calçada do Tijolo 23, 1200-464 Lisboa

Jornalismo independente, progressista e dissidente

Legislativas 2019

Ana Paiva Nunes: “O SNS está a transformar-se no serviço dos pobrezinhos”

5 Setembro 2019
04:13

O número de cirurgias programadas no Serviço Nacional de Saúde (SNS) cresce todos os anos. No ano passado atingiu-se o valor mais elevado, quase 595 mil, segundo o Relatório Anual de Acesso a Cuidados de Saúde de 2018, divulgado a 2 de setembro, já depois da gravação desta entrevista. Contudo, à semelhança do que tem acontecido nos últimos anos, o aumento global destas operações foi conseguido à custa do crescimento das intervenções feitas nos hospitais privados (convencionados) ou do sector social (protocolados), com os quais o Estado tem acordos. Os hospitais públicos e os cuidados de saúde primários encaminharam para estas unidades mais de 65 mil pessoas para serem operadas, em 2018, 11% dos atos cirúrgicos programados em todo o SNS. 

Nunca se operou tanto no privado com dinheiro público. Face a 2017, realizaram-se mais 25,8% (6.354 cirurgias) nos hospitais convencionados e mais 15,5% (4.598 cirurgias) nas unidades de saúde protocoladas.

Em sentido contrário, num ano que terminou com a primeira de duas greves dos enfermeiros nos blocos operatórios, os hospitais públicos (incluindo parcerias público-privadas) perderam terreno, tendo realizado menos cirurgias (-0,9%) que no ano anterior. Foi a primeira vez que tal aconteceu, desde 2006.

Quantidade ou qualidade?

Para Ana Paiva Nunes, médica internista no Hospital de São José, em Lisboa, e porta-voz do Movimento SNS in Black, os dados de 2017, que traçavam uma realidade semelhante, já não eram boas notícias. “Com a contratação com privados há sempre uma degradação da qualidade, porque ninguém afere a qualidade da prestação de serviços”, afirma. Numa entrevista sobre o dia-a-dia no SNS, falamos sobre a dependência do setor privado, a contratação de profissionais, o estatuto dos médicos e gratuitidade da saúde.

Até ao dia 6 de outubro, vamos estar focados no escrutínio de alguns dos assuntos que consideramos mais importantes à medida que se aproxima a votação que definirá a composição da próxima Assembleia da República e do próximo Governo. Vê toda a nossa cobertura das Eleições Legislativas 2019 aqui.

Edição
  1. Pedro Miguel Santos
Entrevista
  1. Margarida David Cardoso
Fotografia
  1. Bernardo Afonso
Preparação
  1. Margarida David Cardoso
  2. Bernardo Afonso
Som
  1. Bernardo Afonso
Texto
  1. Margarida David Cardoso
Vídeo
  1. Bernardo Afonso
  2. Joana Batista
/ /

pergunta, sugere, denuncia, contribui

Jornalismo com tempo e profundidade faz-se com a tua participação e apoio.

Contribuir

subscreve a nossa newsletter

para poderes votar nos tópicos que vamos investigar, workshops que queremos fazer e teres uma voz activa.

Aqui, quem influencia o jornalismo és tu. Apoia-nos.