Menu
Jornalismo independente
progressista e dissidente

2 Novembro, 2018

Entrevista
Ricardo Esteves Ribeiro

Preparação
Maria Almeida
Pedro Miguel Santos
Ricardo Esteves Ribeiro

Som
Bernardo Afonso
Frederico Raposo

Texto
Ricardo Esteves Ribeiro

Vídeo
Bernardo Afonso

atualidade > dois pontos

Extrema-direita conquista o Poder no Brasil

Dois Pontos, 2 de novembro de 2018.

  • Jair Bolsonaro venceu as eleições brasileiras com 55% dos votos válidos. Fernando Haddad, o candidato derrotado, teve 45% da votação. O Brasil acaba de eleger como presidente um racista, homofóbico, machista, xenófobo, defensor da tortura e da ditadura.
  • A Galp e a ENI não vão furar o mar de Aljezur em 2019, como queriam. A oposição dos movimentos ambientalistas e as ações em tribunal travaram a intenção das petrolíferas. As empresas denunciaram o contrato de concessão e o Algarve está, por agora, livre de petróleo.
  • Um relatório da Human Rights Watch publicado na semana passada, a 23 de outubro, descreve detenções e tortura a dissidentes políticos, incluindo jornalistas e ativistas, cometidos pela Autoridade Palestiniana e pelo Hamas.
  • Cristina de Branco, antropóloga, filha e neta de exiladas políticas da ditadura militar brasileira: “Como é que será ter um presidente abertamente misógino, homofóbico, racista, num país que tem uma taxa de feminicídio altíssima, e que tem uma taxa de violência homofóbica altíssima, e no qual existe um genocídio negro indígena em curso… A gente vê muita sombra, realmente”

Fotografia: Marcelo Camargo/Agência Brasil [CC BY 3.0 br], Wikimedia Commons

Acreditamos que o papel do jornalismo é escrutinar a democracia: questionar as decisões tomadas, responsabilizar os representantes. Falar dos temas de que poucos falam, ouvir quem tem menos voz, contas as histórias que não são contadas. Se acreditas no mesmo e queres continuar a ouvir as nossas entrevistas, reportagens e séries documentais podes contribuir aqui.