Maria Almeida Voltar

Gestora de marketing e da Comunidade, jornalista

Redação

[email protected]

Cresci no Porto, com um sotaque mais ou menos carregado. Desde que me lembro que gosto de ouvir boas histórias, daquelas que não estão nos livros, contadas pelas pessoas. Mais tarde, comecei a escrevê-las num caderno. Aos 18 anos, vim para Lisboa estudar jornalismo, na Universidade Nova de Lisboa. Desiludi-me e revoltei-me com as restrições que me eram impostas na escrita. Decidi não fazer o estágio não remunerado em jornalismo e comecei a trabalhar como copywriter. Até que, em 2016, recuperei a paixão pelo jornalismo e comecei um novo projeto chamado É Apenas Fumaça. Queixo-me de que não durmo desde então. Prefiro reportagens a entrevistas. Não vivo obcecada pela verdade, antes pelas várias verdades. Inspiro-me no bom jornalismo feito mundo fora, na música, nos livros, nas conversas de café. Ouço religiosamente vários podcasts enquanto passeio o meu cão, um castro laboreiro de 50 quilos. Vivo em Lisboa mas, apesar de ter perdido parte do sotaque, ainda digo sapatilhas e não pronuncio o acento nas formas verbais terminadas em -ámos, no pretérito perfeito do indicativo. Sou portista ferrenha e acredito que as boas francesinhas só se comem na Invicta.

Equipa: