Comunicação Social

Daniel Oliveira: “Não é natural um jornalista publicar uma coisa errada para ser o primeiro a publicar”

Daniel Oliveira foi jornalista no Diário de Lisboa, no Já, no Vida Mundial e no Diário Económico. É hoje colunista no Expresso, comentador no Sem Moderação, do Canal Q e no Eixo do Mal, da SIC Notícias. Foi fundador da Plataforma de Esquerda, do Política XXI (que deu lugar ao Fórum Manifesto), e também do Bloco de Esquerda, onde foi dirigente. Hoje, não é membro de qualquer partido.

Conversar com o Daniel Oliveira pode ser intimidante. A maneira apaixonada como o Daniel debate sobre qualquer tema pode fazer parecer dele um homem que se entusiasma com pouco. É o contrário. O Daniel é daquelas pessoas que retira prazer pela investigação, por saber mais. Tanto é que consegue, como ninguém que conheça, ter uma discussão profunda sobre temas mais variados da atualidade. É intenso.

Chegámos a casa dele pouco atrasados e menos nervosos que aquando do primeiro episódio. Ainda não tínhamos montado os microfones e falava-nos já o Daniel sobre religião, sobre politica e sobre o ataque a Orlando.

“Já temos alguma coisa em que discordamos”, disse. Atreveria-me a dizer que o Daniel é atropelado por um pico de adrenalina quando discorda com quem discute. Aí está uma oportunidade para o debate. Nós gostamos disso e começamos a gravar.

Durante cerca de 40 minutos, conversámos sobre o papel da Comunicação Social e a sua pluralidade, sobre o estado do jornalismo e a seriedade dos jornalistas, sobre o futuro dos media como negócio e a consequência desse futuro para a sociedade.

Aprofundámos um tema que nos afeta a todos e que a Comunicação Social pouca vontade tem de debater.

Foto: Duarte Lobo Antunes

Subscreve a newsletter

Lê textos exclusivos escritos por nós ou pessoas convidadas. Guarda as nossas recomendações de reportagens, podcasts, filmes e documentários.

Subscreve e recebe a nossa newsletter.

Ver exemplos