Fala connosco — [email protected]
Calçada do Tijolo 23, 1200-464 Lisboa

Jornalismo independente, progressista e dissidente

"Palestina, histórias de um país ocupado"

Fumaça vence prémio Gazeta Revelação 2018

1 Julho 2019
16:36

A série documental “Palestina, histórias de um país ocupado” foi a vencedora do prémio Gazeta Revelação 2018, uma das categorias dos Prémios Gazeta, os mais importantes do jornalismo nacional, atribuídos pelo Clube de Jornalistas.

“Palestina, histórias de um país ocupado” foi publicada em seis episódios, entre 15 de maio e 2 de agosto de 2018. A reportagem foi realizada em setembro de 2017. Durante dez dias, o Ricardo Esteves Ribeiro e a Maria Almeida estiveram entre Ramallah, Belém, Hebron e Jerusalém para perceberem como vive a Palestina ocupada. Dessa viagem saiu a primeira grande investigação Fumaça. Contámos as vidas e as voltas de uma usurpação, através das vozes de quem lhe resiste. Um trabalho de equipa liderado por Ricardo Esteves Ribeiro (reportagem), mas feito a várias mãos: Bernardo Afonso (edição de som), Maria Almeida (reportagem), Pedro Miguel Santos (edição).

Em novembro de 2018, “Palestina, histórias de um país ocupado” venceu também os prémios do júri e do público (votação online) na categoria “Narrativa Sonora Digital”, da 11.ª edição dos Prémios de Ciberjornalismo, do Observatório do Ciberjornalismo (ObCiber) da Universidade do Porto.

“O tratamento jornalístico dado à ocupação israelita da Palestina é habitualmente caracterizado, nos meios de comunicação social, como um ‘conflito’. Não é isso que se passa. Não há um conflito, há uma ocupação e há resistência. É preciso usar os termos certos, chamar às coisas o que elas são. É para isso que serve o jornalismo. Ir em reportagem à Palestina mostrou-se fundamental nesse sentido, para termos essa consciência e realizarmos uma investigação profunda e baseada em factos. Na Palestina, há uma violação constante dos Direitos Humanos, de decisões das Nações Unidas, o uso de violência indiscriminada e gratuita, abusos de toda a espécie, perpetrados por um Estado que ignora as mais elementares regras do Direito Internacional e de respeito pela vida”, realça Ricardo Esteves Ribeiro.

O prémio Gazeta Revelação é entregue a jornalistas com título profissional, com menos de 30 anos, e não mais de dois anos de exercício da profissão à data da publicação ou emissão. O Júri teve a seguinte composição: Eugénio Alves (CJ), Cesário Borga (CJ), Eva Henningsen (Associação de Imprensa Estrangeira em Portugal), Fernanda Bizarro (Freelancer), Fernando Correia (jornalista e professor universitário), Elizabete Caramelo (professora universitária), Fernando Cascais (professor universitário e formador do CENJOR) e Paulo Martins (jornalista e professor universitário).

A equipa Fumaça dá os parabéns a todas e todos camaradas que venceram nas outras categorias, com especial destaque à Sofia da Palma Rodrigues e ao Diogo Cardoso, da Divergente, que connosco partilham a redação e venceram o Gazeta Multimédia.

Prémio Gazeta de Mérito

António, cartunista do Expresso, cujo desempenho na profissão, iniciada em 1974, é amplamente reconhecido. Autor de desenhos polémicos, como o do preservativo no nariz do Papa João Paulo II, de 1992, e o publicado em abril passado no New York Times, que apresentava Donald Trump conduzido por um cão com a cara do primeiro-ministro de Israel, é um jornalista com créditos firmados.

Gazeta de Televisão

Victor Bandarra (TVI) e Ana Luísa Rodrigues (RTP), ex-aequo. O primeiro, pela reportagem “Ciganos – uma longa sina”, emitida em duas partes, na rubrica “TVI Repórter”, do Jornal das 8, a 29 de janeiro e a 4 de fevereiro de 2018, que quebra preconceitos e ideias feitas sobre a comunidade. O trabalho de Ana Luísa Rodrigues, “Deportados para Outro Mundo”, é a primeira grande reportagem que em televisão aborda as estórias de portugueses que passaram por campos de concentração nazis, deportados a partir de França. Emitida na RTP 3 a 11 de maio de 2018.

Gazeta de Imprensa

Virgílio Azevedo (Expresso), graças à “Investigação na Ilha Terceira – Contaminação nos Açores”, que deu origem a sete peças publicadas na versão impressa, entre 10 de março e 21 de abril, e a mais seis no Expresso Online, a última das quais a 14 de setembro de 2018. Incide sobre o impacto da contaminação de solos e aquíferos pela Base das Lajes na saúde e na qualidade de vida da população.

Gazeta de Rádio

Mário Rui Cardoso (Antena 1) pela reportagem “Teremos Sempre Paris”, transmitida na Antena 1 a 2 de maio de 2018. Evocativa do 50.º aniversário do Maio de 68, em França, associa sons da época a um conjunto de depoimentos, maioritariamente de portugueses anónimos que testemunharam os históricos acontecimentos.

Gazeta de Multimédia

Diogo Cardoso e Sofia da Palma Rodrigues (Divergente), autores da reportagem “Terra de todos, terra de alguns”. Realizada em Moçambique, sobre o efeito de investimentos agrícolas na vida de milhares de camponeses, subitamente privados das suas propriedades. Inserida na plataforma digital a 12 de julho de 2018, contou com uma versão impressa no Público e uma versão televisiva na RTP África.

Gazeta de Fotografia

Paulo Novais (Agência Lusa), por uma fotografia de Marcelo Rebelo de Sousa, captada na praia fluvial de Mosteiro (Pedrógão Grande), durante o périplo que efetuou no ano passado pelas regiões fustigadas por incêndios em 2017. A imagem integrou a galeria “Os 1001 mergulhos do Senhor Presidente”, disponibilizada a 29 de agosto de 2018 na edição digital do Público.

Gazeta de Imprensa Regional

Notícias de Gouveia, trimensário com 105 anos. Propriedade da Associação de Beneficência Popular de Gouveia, apresenta-se como “defensor dos interesses da região e almeja constituir, segundo o Estatuto Editorial, um “forte elo de ligação entre as muitas comunidades de gouveenses espalhadas pelo território nacional e no estrangeiro”.

pergunta, sugere, denuncia, contribui

Jornalismo com tempo e profundidade faz-se com a tua participação e apoio.

Contribuir

subscreve a nossa newsletter

para poderes votar nos tópicos que vamos investigar, workshops que queremos fazer e teres uma voz activa.

O nosso jornalismo é aberto a toda a gente, mas custa dinheiro. Ajuda-nos a continuar.