As polícias em Portugal

Uma investigação sobre brutalidade policial, discriminação na Justiça e o que significa ser polícia em Portugal. Um trabalho feito em parceria com a revista digital de jornalismo narrativo Divergente.

Subscreve a nossa newsletter:

Recebe os episódios da nova série quando saírem no teu email.

Progresso da investigação:

+0

gravações

0

anos de investigação

0

músicas de banda sonora original

Quase quatro anos depois de termos iniciado esta investigação, este é o estado do trabalho:

  • Estamos a terminar as transcrições de todas as entrevistas.
  • Começámos a escrever o episódio 5 de 12.
  • Estamos a ler “Heróis Imperfeitos”, de Carlos Anes Fernandes.

Se tiveres sugestões para esta investigação, envia-nos email para [email protected].

Entrevistas Publicadas:

Alex S. Vitale: “Não precisamos de policiamento de proximidade, mas de investimentos nas comunidades”

Em 2021, o Ministério da Administração Interna do governo de António Costa anunciou um plano que promete mudar as polícias e o policiamento em Portugal: o Plano de Prevenção de Manifestações de Discriminação nas Forças e Serviços de Segurança. Alex S. Vitale, sociólogo e autor do livro The End of Policing, explica porque as reformas prometidas não funcionam.

Maria João Vaz: “A criação das polícias corresponde à vontade das elites de dominar a população”

Entrevista sobre a origem das polícias à historiadora Maria João Vaz, professora do departamento de história do ISCTE-IUL, investigadora do CIES – Centro de Investigação e Estudos de Sociologia e autora do livro “O Crime em Lisboa 1850-1910”.

Esta entrevista faz parte da investigação que o Fumaça está a fazer, em parceria com a revista digital de jornalismo narrativo Divergente, sobre violência policial, racismo judicial e o que significa ser polícia em Portugal.

Vítor Sanches: “Acredito num mundo sem polícia”

Vítor Sanches cresceu na Cova da Moura e desde sempre aprendeu que o seu bairro era “um lugar de exceção para a polícia”. As rusgas e a violência desproporcional eram normais. Por isso, não o surpreendeu quando, em 2015, seis residentes da Cova da Moura foram sequestrados e espancados na esquadra de Alfragide.

No dia em que se assinalam dois anos desde que oito agentes dessa esquadra foram condenados nesse caso (um deles com pena de prisão efetiva), numa sentença histórica, conversamos com o ativista anti-racista e fundador da Bazofo, uma livraria, loja de roupa ética e sustentável e espaço de resistência na Cova da Moura.

Recebe novidades desta e de outras investigações no teu email