Fala connosco — [email protected]
Calçada do Tijolo 23, 1200-464 Lisboa

Jornalismo independente, progressista e dissidente

entrevista > é apenas fumaça

PORTAS GIRATÓRIAS

Susana Peralta: “António Mexia usou a política como plataforma para ter sucesso no mundo das empresas”

Na última década, vários dos chamados “gestores de topo” portugueses têm sido, um a um, afastados das suas funções por alegada má gestão e corrupção, entre outras razões – umas mais legais que outras. De Zeinal Bava e Ricardo Salgado a António Mexia. Como se explica que tantos líderes das maiores empresas portuguesas caiam do pedestal?

Esta entrevista faz parte de uma investigação Fumaça que procura responder à pergunta: “O que faz com que uma pessoa esteja mais perto do poder?”.

30 Julho 2020

entrevista > é apenas fumaça

Prisões

Marco Ribeiro Henriques: “Há pessoas presas que trabalham sete a oito horas por dia e recebem 60€ por mês”

Como qualquer cidadão, uma pessoa presa tem direito a trabalhar e não pode ser obrigada a fazê-lo, se assim não o desejar. No entanto, na maioria dos casos, não recebe o mesmo pelo mesmo trabalho feito por uma pessoa livre. Longe disso. “Há pessoas presas que trabalham sete a oito horas por dia, em linhas de produção, têm hierarquia e recebem 60 euros por mês. O trabalho mais bem pago dentro da prisão não chega a cinco euros por dia – e é o Estado português que paga”, diz Marco Ribeiro Henriques, jurista e investigador em Direitos Humanos, Direito penal e Política Criminal, com especial foco no trabalho prisional e na condição das mulheres presas.

23 Julho 2020

comunicados

Crowdfunding

Ajuda-nos a investigar

Hoje relançamos a nossa campanha de crowdfunding para três investigações que consideramos fundamentais: “Mulheres Esquecidas. Um ar que se lhes deu.”, “Presos e Prisões. Com que Direito?” e “Bairros PERdidos”. Apoia-nos.

9 Julho 2020
Aqui, quem influencia o jornalismo és tu. Apoia-nos.